tempo-de-despertar-jorge-medauarO que eu preciso fazer para crescer

Quantos manuais de instrução de comportamento são criados diariamente nas redes sociais. Regras, dicas, mandamentos… estamos cercados de professores e mestres do equilíbrio. Mais que isso: de pessoas que realmente viveram aquilo o que andam pregando. #duvida.

Palavras como empoderamento, crescimento sustentável, legado, protagonismo, para ficarmos apenas nestas, estão em todas as bocas, briefings, aulas, palestras, artigos.

De um lado, temos as regras da conduta do bem: ser grato, controlar a ansiedade, dominar o medo, incorporar a positividade, ser generoso, paciente, produtos orgânicos.

De outro, as regras do mundo corporativo, cada vez mais excludentes, que passam pela resiliência, pela disponibilidade em tempo integral, fazer mais por menos, de novo pela paciência, pelo eterno processo de aprendizado, línguas, MBAs, experiências internacionais.

E assim, pouco a pouco, vamos sendo ralados, espremidos, descascados feito cebola, até perdermos a nossa verdadeira identidade, nos violentando, sempre em nome do fortalecimento interno, do crescimento e, principalmente, da sobrevivência. Somos mais o que querem que a gente seja do que nós mesmos.

Afinal, quem somos nós, mesmo?

Vivemos uma ditadura silenciosa porém facilmente percebida, sobretudo quando chegamos em casa depois de um dia inteiro na selva.

Na hora em que olhamos o retrovisor para o balanço do dia, vemos o quanto batemos e o quanto apanhamos. E é quando vem a pergunta: até quando vamos levar essa vida de emoções dúbias, de sentimentos conflituosos, do eu sem personalidade?

Porque de fato muitas vezes precisamos ser mais do que nós. E haja conhecimento. Haja auto conhecimento. Haja confiança para enfrentar essa tempestade de regras e manuais.

Mas, de fato, do que precisamos para crescer, seja na vida, seja no trabalho, seja no espírito?

Será que é isso o que chamamos felicidade?

tempo-de-despertar-jorge-medauarSó você sabe o caminho

Felicidade não é algo que acontece, mas algo que a gente faz acontecer, já ensinou o psicólogo húngaro Mihaly Csikszentmihalyi.

E cada um sabe onde aperta o calo. Onde dói a sua ferida mortal, como se diz nos cursos de auto desenvolvimento e expansão da consciência.

Mais que isso: cada um sabe das suas ambições e até onde pretende chegar na vida.

E, de fato, precisamos criar as condições  para que as coisas aconteçam.

Ao invés de esperar, o segredo é criar o campo energético que vai atrair tudo o que sonhamos. Casamento, curso, carro, promoção… tudo isso só vai chegar do modo que você deseja se você realmente mudar a forma de enxergar as coisas, porque os fenômenos são sempre os mesmos, o que muda é a nossa forma de olhar para eles.

Quem olha com medo atrai o medo. Quem olha com dúvida, atrai a dúvida. Quem olha de forma confiante, positiva, atrai na mesma proporção.

No entanto, não basta apenas olhar, é preciso praticar. Praticar não apenas com confiança e fé, mas, antes, com verdade. É a motivação verdadeira, a autenticidade dos sentimentos e dos propósitos que vai fazer as coisas de fato acontecerem.

Por mais que em algum momento eu pareça aqueles mestres e professores a que me referi no começo, aqui não fala somente quem estudou mas, principalmente, alguém que experimentou o sabor da laranja madura e também amarga.

E olha que ainda assim essa experiência não serve como lição para ninguém.

Você vai ter que provar a laranja para saber que gosto tem.

tempo-de-despertar-jorge-medauarO que você precisa fazer?

Essa resposta está no seu coração. Está onde sua vista alcança. Onde seus pés podem te levar.

Esta resposta está naquilo o que você está disposto a negociar para ser feliz sem deixar de lado as coisas que já te fazem feliz.

Considere, antes de mais nada, que ensinamento é ensinamento. Sempre há alguma coisa a extrair, a aprender, a transformar.

Imagine que a nossa cabeça é um poço que deve estar sempre aberto para receber a água e a chuva, afinal nunca sabemos quando vamos precisar.

E assim lançamos mão daquilo o que de fato está ao nosso alcance, sem violência, e trazemos para a nossa vida.

Pouco a pouco, passo a passo, a magia vai acontecendo.